estranha obra Deus

A estranha obra de Deus

estranha obra Deus

A profecia de hoje está no livro de Isaías 28:21:“Porque o Senhor se levantará como no monte Perazim, e se irará, como no vale de Gibeão, para fazer a sua obra, a estranha obra, e para executar o seu ato, o seu estranho ato”.

Esta profecia foge um pouco da linha de estudos que temos realizado até agora. É uma profecia que menciona a atuação do próprio Deus. Mas o estudo é importante para termos uma correta compreensão do Senhor. Infelizmente a maioria das pessoas tem uma visão completamente distorcida de quem seja o Deus do Universo.

O texto diz que Deus iria se levantar e seria de uma forma tão visível, como é o monte Perazim, e que Deus se levantaria com indignação, com ira como a demonstrada no vale de Gibeão, para fazer algo estranho ao seu caráter, ou um estranho ato, como é dito pelo profeta.

Temos que entender dois pontos nesta profecia. Primeiro: O que aconteceu no monte Perazim e no vale de Gibeão? E, segundo, que obra estranha é esta?

Vamos buscar na história a compreensão desta profecia. No livro de I Crônicas 14:8-16 encontramos o que aconteceu nestes dois lugares. Os filisteus ouviram que Davi havia sido ungido rei sobre Israel e, como diz a Bíblia, subiram em busca dele; mas não era uma busca pacífica, era para a guerra, para o confronto, para a destruição. Davi consultou ao Senhor se teria sucesso ao atacar os filisteus. E a ordem foi a seguinte: “Sobe, porque os entregarei nas tuas mãos” (I Cronicas14:10).

Ao subir contra os filisteus o exército de Davi conseguiu uma vitória esmagadora no monte Perazim e no vale de Gibeão. Os filisteus não tiveram tempo de fugir com seus deuses. Quando Davi percebeu o tamanho dessa conquista deu o nome ao lugar de Baal-Perazim. Alguns soldados filisteus, porém, conseguiram escapar do primeiro ataque. Isso motivou Davi a perguntar novamente ao Senhor se deveria sair atrás deles e o Senhor Deus deu toda a orientação de como proceder. O resultado foi este, II Reis 14:17 conta: “…Porque Deus haverá saído diante de ti, a ferir o exército dos Filisteus. E fez Davi como Deus lhe ordenara; e feriram o exército dos filisteus desde Gibeão até Gezer. Assim se espalhou o nome de Davi por todas aquelas terras; e o Senhor pôs o seu temor sobre todas aquelas gentes”.

Amigo ouvinte, quando essas guerras eram travadas estava em jogo muito mais do que uma conquista de uma cidade ou um novo território. A motivação principal era saber qual Deus que tinha mais poder. Os filisteus levaram para o campo de combate os seus deuses, e quando foram destruídos ou fugiram, não tiveram tempo de recolhê-los, como é dito em I Crônicas 14:12. “Os filisteus haviam deixado ali os seus deuses, e Davi ordenou que fossem queimados a fogo”. Os filisteus eram um povo que adorava a muitos deuses pagãos. Não estavam interessados no Deus criador do Céu e da terra. Esse povo sempre esteve em oposição ao Deus verdadeiro. Deus então se levantou e produziu uma destruição tão grande, que na profecia de Isaías tinha que ser comparada com o monte Perazim. Foi uma vitória visível para todos os povos, assim como era visível o monte Perazim.

Mas qual é a obra estranha, falada por Isaías? A Bíblia diz que Deus é amor (I João 4:8). Amigo, Deus não só tem amor, Ele é amor. O seu caráter é de puro amor. Ele é a fonte do puro amor. Assim é o Deus descrito nas escrituras.

Mas a grande pergunta é: Como um Deus de amor pode destruir? Sabe, um dia à semelhança do que Davi fez com os filisteus e seus deuses, Jesus Cristo vai fazer com o ser humano e seus deuses modernos. Hoje em dia é fácil encontrarmos pessoas que não adoram deuses feitos por homens, mas também são idólatras, porque adoram o próprio trabalho, a sua família, o seu dinheiro e a si mesmos.

Em Mateus 6:33 encontramos o seguinte conselho de Jesus: “Mas buscai primeiro o reino de Deus, e sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”. O primeiro lugar já tem dono, é o de Jesus Cristo. Todo aquele escolher servir a outro deus, chegará a um momento quando o Deus do céu se levantará para destruir todos esses deuses e seus adoradores. Isto na profecia de Isaías é um ato estranho para um Deus que tem como base do seu caráter o amor.

Daniel diz que Miguel (Jesus) se levantará, e haverá um tempo de angustia qual nunca houve. Daniel 12:1. Esta angustia acontecerá porque um grupo de homens e mulheres escolheu outros deuses e terá que comparecer diante do juízo final para prestar contas de todos os atos e rebeldia. Muitos viveram e vivem como se não tivessem que prestar contas a ninguém; mas a vida não é assim! Eu tenho um Deus para amar e adorar e um dia terei que comparecer diante dEle para o juízo final. Assim escreveu Paulo: “Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem ou mal” (II Coríntios 5:10).

Quando Cristo voltar pela segunda vez, para um grupo será o momento mais feliz e importante da vida. Para outros, porém, será o mais triste, irremediável e desesperador. Uns ganharão o premio da vida eterna; outros receberão, de acordo com a escolha voluntária que fizeram, a morte eterna – resultado da idolatria e rebeldia contra o Deus do universo.

Amigo ouvinte, as escolhas e decisões que você toma ou faz hoje determinam completamente qual será o veredicto no fim da história. Por isso, escolha hoje servir ao Senhor. Coloque-O em primeiro lugar sempre. Creia nEle. Assim você estará seguro. Creia nos profetas dEle e você prosperará.

 

Fonte:
Encontro com as Profecias
WGospel – Rede Maranatha de Comunicação

Uma opinião sobre “A estranha obra de Deus”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *