baal X jeova

Baal X Jeová

baal X jeova

Vamos continuar falando de Elias, Acabe e Jezabel? A profecia de hoje teve o seu cumprimento imediato lá pelo ano 906 antes de Cristo. I Reis 18:1 e 2: “Depois de muitos dias, no terceiro ano, veio a palavra do Senhor a Elias: Vai, apresenta-te a Acabe, e darei chuva sobre a terra. E assim foi Elias apresentar-se a Acabe. Ora, a fome era extrema em Samaria”.

Elias, como já disse no último programa, estava escondido na cidade de Sarepta, na Fenícia. Depois de três anos de seca recebeu a ordem do Senhor de viajar 130 quilômetros até Samaria, a capital de Israel do norte, e dar uma nova mensagem ao rei Acabe.

O profeta não temeu e foi cumprir a ordem de Deus. Por três anos o rei Acabe havia procurado o causador de tamanho mal. E o Senhor manda Elias ir direto ter com o rei.

Desde o primeiro encontro de Elias com Acabe, o cenário de Israel tinha mudado completamente. O desespero do rei era tão grande que ele mesmo, juntamente com seu servo Obadias, saiu a procura de comida para os seus cavalos (I Reis 18:6).

Nesse período de apostasia religiosa, Obadias permanecera fiel a Deus, mesmo trabalhando no palácio. Nunca aceitou ser um adorador de Baal. E foi ele quem primeiro se encontrou com Elias e recebeu uma tarefa muito importante: “vai e dize a Acabe que Elias foi encontrado”. Obadias hesitou em dar tal recado. Temia que Elias fosse arrebatado para um outro lugar e ele seria acusado pelo rei de estar dando uma notícia falsa. Mas, “disse Elias: tão certo como vive o Senhor dos Exércitos, perante cuja face estou, deveras hoje me apresentarei a ele. Então foi Obadias encontrar-se com Acabe, anunciou-lhe o acontecido, e Acabe foi ter com Elias” (I Reis 18:15-16)

Que encontro memorável! Acabe, ao ver Elias, pergunta: “És tu, perturbador de Israel?” (I Reis 18:17). A primeira reação do rei foi, na verdade, uma provocação. Para Acabe, o responsável por toda a tragédia era Elias. Acabe não era homem para reconhecer que ele mesmo era o causador de todo aquele mal. É sempre mais fácil dizer que os outros é que estão errados. Acabe sabia que todo o mal que Israel estava sofrendo eram conseqüências de suas ações. Ele de fato era o perturbador de Israel. Ele era o problema para Israel, mas jamais queria assumir isto.

Hoje, muitos seguem este mesmo costume. Preferem dizer que os outros estão errados, que os outros são os causadores de todo o mal. Quantos Acabes modernos encontramos andando por aí… Você conhece algum?

Diante desta acusação Elias respondeu: “Eu não tenho perturbado a Israel, mas tu e a casa de teu pai” (I Reis 18:18). Elias, sim era um verdadeiro homem. Mostrou quem era o responsável, sem temor da própria vida. Sabia que tudo aquilo era fruto de uma nação ter deixado o Deus do céu de lado. Elias, então, desafia Acabe a reunir todos os profetas de Baal e de Asera, no monte Carmelo, para a prova final. Dois altares deviam ser edificados, um novilho deverá ser imolado para cada altar. Um altar para Baal, e outro para o Deus do céu. O que respondesse com fogo ganharia a disputa (I Reis 18:24).

O Carmelo foi escolhido como o local para o embate final. Elias com um altar e os profetas de Baal com outro altar. Primeiro, os profetas de Baal começaram a clamar ao seu deus, mas quanto mais o tempo passava, o desespero aos poucos tomava conta; o fogo não aparecia e Elias zombava, pedindo que gritassem mais alto, porque poderia Baal estar dormindo. O tempo dos profetas de Baal passou e o fogo não apareceu.

Agora era a vez de Elias. Preparou o altar, colocou a lenha, o novilho, despejou água, e mais água, ajoelhou e orou ao Senhor dizendo: “Ó Senhor, Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, manifeste-se hoje que tu és Deus em Israel, e que sou teu servo, e que segundo a tua palavra fiz todas as coisas. Responde-me, Senhor, responde-me, para que este povo conheça que tu, és Deus, e que fizeste voltar o seu coração” (I Reis 18:36-37). Diz a Bíblia que fogo caiu do céu e consumiu todo o sacrifício que Elias tinha preparado.

Após o fogo descer do céu, todos os falsos profetas foram mortos. Elias, então, falou a Acabe que a seca acabara. Agora iria chover. “O povo vê por fim quão grandemente havia desonrado a Deus… O povo reconhece a justiça e a misericórdia de Deus em haver retido o orvalho e a chuva até que tivessem sido levados a confessar o seu nome. Agora estão prontos a admitir que o Deus de Elias está acima de qualquer ídolo” (P.R. 153). “E disse Elias a Acabe: Sobe, come e bebe, pois há ruído de muita chuva” (I Reis 18:41).

E a profecia de Elias cumpriu-se plenamente. “Em pouco tempo os céus se enegreceram de nuvens e vento, e caiu uma grande chuva” (I Reis 18:45). A chuva foi abundante, refrescante, e trouxe a terra a vida, as flores voltaram a colorir os campos, os rios e regatos voltaram a correr em seus leitos, os poços voltaram a produzir água. O povo estava feliz e não havia duvida de quem era o verdadeiro Deus de Israel.

Amigo ouvinte, não troque o Deus do céu por nenhum outro, porque as conseqüências poderão ser imediatas. Aprendamos a lição com o povo de Israel. Permaneçamos ao lado do Deus Eterno em todos os momentos de nossa vida.

É nEle que devemos crer para ficarmos seguros. É crendo nos profetas dEle que prosperaremos.

 

Fonte:
Encontro com as Profecias
WGospel – Rede Maranatha de Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *