Deus vai abrir o mar

mar vermelho

A profecia de hoje é fascinante. Foi feita em torno do ano 1.445 AC e está em Êxodo 14:13-14: “Moisés disse ao povo: Não temais. Estai quietos, e vede o livramento do Senhor, que hoje vos fará. Aos egípcios, que hoje vistes, nunca mais vereis para sempre. O Senhor pelejará por vós, e vos calareis”.

Moisés estava com oitenta anos de idade quando recebeu a missão de libertar os israelitas do Egito. Não foi tarefa fácil. Especialmente convencer os próprios descendentes de Jacó de que fora enviado pelo Senhor Deus. E depois encarar de frente o faraó egípcio, maior autoridade daquela época.

Por ocasião desta profecia, as dez pragas já haviam caído sobre aquela região. Os primogênitos egípcios já estavam mortos. O faraó, finalmente, consentira em liberar todas as pessoas com os seus pertences, animais, enfim, tudo que era deles. Os israelitas, também, já haviam celebrado a páscoa e aguardavam com ansiedade o momento de partir.

Êxodo 12:31 registra a ordem de Faraó a Moisés e Arão: “Levantai-vos, saí do meio do meu povo, tanto vós como os filhos de Israel!” Assim, “partiram os filhos de Israel de Ramessés para Sucote, cerca de seiscentos mil a pé, somente de homens, sem contar mulheres e crianças. Subiu também uma mistura de gente, ovelhas e gado, muitíssimos animais” (Êxodo 12:37-38).

A alegria de todos era indescritível. Haviam presenciado os milagres e a extraordinária libertação proporcionada pelo Deus Jeová. Canaã, a terra prometida, seria conquistada rapidamente e com facilidade. Por isso, como lemos no verso anterior, uma mistura de gente, que não era de israelitas, aproveitou a oportunidade para tentar ganhar seu pedacinho de terra.

Veio a primeira parada, o primeiro acampamento, em um lugar chamado Sucote, ainda nos domínios do Egito. Imagino que esta primeira parada foi o tempo que eles precisaram para a organização final. De Sucote, partiram para Etã, na entrada do deserto (Êxodo13:20). Enquanto caminhavam em direção à terra prometida, algo especial os acompanhava. A Bíblia conta: “O Senhor ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem, para os guiar no caminho e de noite numa coluna de fogo, para os alumiar… Nunca se apartou do povo a coluna de nuvem de dia, nem a coluna de fogo de noite” (Êxodo 13:21-22).

Tudo ia muito bem até surgir o primeiro problema. E que problema! A estrada acabou. O Mar Vermelho estava à frente e não havia um único barco ou navio preparado para transportá-los para o outro lado. A festa da saída fora estragada. Tudo agora começa a dar errado. E para realmente complicar a situação, uma notícia aterradora: o exército de faraó está a caminho. Estão cercados por montanhas. Na frente o mar. Atrás soldados cruéis se aproximando rapidamente. O sonho da terra prometida vira pesadelo. O desespero toma conta de praticamente todos. Gritos, choro, criticas a Moisés. Gente reclamando por todos os lados. Naquele momento cada um mostra quão forte é a confiança que tem em Deus. A maioria já O tinha esquecido por completo.

O líder, nesse caos de medo e desespero faz, então, a profecia que estamos estudando hoje. “Moisés disse ao povo: não temais. Estai quietos, e vede o livramento do Senhor, que vos fará hoje. Aos egípcios, que hoje vistes nunca mais vereis para sempre” (Êxodo14:13). Em outras palavras: “Fiquem quietos, acalmem-se, deixem o Senhor mostrar o poder dEle.” Moisés levantou o cajado e estendeu a mão sobre o mar e uma estrada foi aberta para o povo passar. A multidão não acredita no que os olhos vêem. Porém, vão em frente!

Os egípcios, ao perceberem o caminho aberto, concluíram que o mesmo trajeto serviria para eles também. Estavam redondamente enganados. Tão logo os israelitas atravessaram para o outro lado, Deus deu uma ordem a Moisés. “Então Moisés estendeu a mão sobre o mar e o mar retornou a sua força ao amanhecer… As águas, tornando, cobriram os carros e os cavaleiros de todo o exército de Faraó, que os havia seguido no mar. Nem ainda um deles ficou” (Êxodo 14:27-28).

A profecia feita por Moisés demorou apenas poucas horas para se cumprir. Toda aquela multidão de soldados que perseguia o povo de Deus foi destruída. No amanhecer não havia inimigos vivos. Todos estavam mortos na praia.

Amigo ouvinte, desta profecia temos que tirar algumas conclusões. A primeira é que quando aceitamos fazer parte do povo de Deus, poderemos, eventualmente, passar por dificuldades. Não somos isentos de provações. A segunda conclusão é que a oposição pode surgir dentro da própria família, no trabalho, nos estudos… Quem sabe até alguns amigos poderão se tornar inimigos.

Em terceiro lugar, não subestime a Deus. Os egípcios concluíram que, se até ali eles tinham andado pelo mesmo caminho dos israelitas, não haveria porque temer em trilhar essa novidade no meio do mar. Brincaram com Deus. Desafiaram a Deus. Em quarto lugar, quando as dificuldades parecerem impossíveis e você estiver fazendo a vontade de Deus, tenha paciência, espere nEle. Os inimigos são reais, mas o nosso Deus também é real. Sabe, temos que aprender a depender mais de Deus. Ele tem o mesmo poder para abrir uma estrada onde hoje só tem água. Sim! Deus pode abrir um caminho, providenciar uma solução, onde não vemos nada nem ninguém.

Em quinto lugar, Deus apenas está esperando você abrir espaço em sua vida para Ele poder lutar por você. Deixe Deus ser um aliado seu, amigo ouvinte. Você que está cheio de problemas, achando que Deus o abandonou ou que a vida não tem mais sentido, você que, quem sabe, está pensando em por fim a vida porque não consegue um emprego para sustentar a família, deixe Deus lutar por você!

Este é meu apelo para você que está ouvindo este programa. Deus quer andar com você. Quer lutar com você. Quer vencer com você! Quer abrir o mar e derrotar os inimigos. Você vai deixar?

“Creia no Senhor teu Deus e você estará seguro. Creia nos profetas dEle e você prosperará”.

 

Fonte:
Encontro com as Profecias
WGospel – Rede Maranatha de Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *