Encontro semanal e mensal

Encontro semanal e mensal

Encontro semanal e mensalEncontro semanal e mensal

A profecia de hoje é uma continuação da grande profecia que estudamos nos dois últimos programas.

Vamos fazer uma pequena recapitulação? Israel, por sua desobediência, acabou sendo conquistado por vários povos. No tempo de Isaías, o problema eram os babilônicos que estavam invadindo Jerusalém. Havia uma profecia, feita por Jeremias, que após o cativeiro babilônico, que duraria setenta anos, o Senhor os visitaria. “Acontecerá, porém, que, quando se cumprirem os setenta anos, visitarei o rei de Babilônia, e esta nação…” (Jeremias 25:12).

Depois desses 70 anos Deus tinha um grande projeto para Jerusalém e seus moradores. Eles iriam viver mais, a mortalidade infantil seria erradicada, ninguém morreria prematuramente, os animais seriam mansos e dóceis, o instinto selvagem desapareceria para sempre. Jerusalém seria uma miniatura do reino de Deus.

Após retornarem do cativeiro, surgiram vários lideres que conduziram o povo para uma relação maior com Deus. Entre eles Esdras e Neemias. Ao lermos sobre eles temos uma idéia geral das grandes reformas que desejavam fazer, principalmente no que se refere a adoração e obediência.

Depois disso podemos entrar na profecia feita por Isaías, que está no capítulo 66:23: “De uma lua nova à outra, e de um Sábado ao outro, virá toda a humanidade a adorar na minha presença, diz o Senhor”.

Veja que a profecia de Isaías revela que chegaria um dia em que toda a humanidade estaria diante de Deus para adorá-lo. Se Israel não cumpriu com o propósito de Deus, quem então cumprirá? Se a profecia não se cumpriu nos dias do povo judeu, quando então se cumprirá?

Vamos então buscar entender, quando esta profecia se cumprirá na sua totalidade. Gostaria que você me ouvisse sem nenhum preconceito, afinal a base de tudo que temos estudado até aqui tem sido e continuará sendo a Bíblia. Quero lembrá-lo que o grande problema desta profecia não é o Sábado, mas sim a quem adorar e, então, como conseqüência, quando adorar. O problema da adoração já é antigo. Após a rebelião de Lúcifer no céu, o grande ponto em discussão era a quem adorar e a quem obedecer. Lúcifer queria ser também objeto de adoração. Queria toda a adoração para si (Isaías 14:13-14). A segunda acusação dizia respeito à obediência. Segundo Lúcifer, era impossível que a criatura pudesse obedecer os princípios preservadores da vida estabelecidos pelo criador. Portanto, o anjo caído tentou destruir a palavra de Deus.

O conflito cósmico teve inicio no céu e foi transferindo para este planeta. Foi fundamentado nestes dois pontos: adoração e obediência. Ao longo da história, o inimigo vem tentando atrair a adoração dos homens para si e, ao mesmo tempo, tem procurado desvirtuar a palavra de Deus. Para alcançar esses dois objetivos, ele usa todos os métodos possíveis: engana, fascina, mente, esconde, disfarça, e quando isso não dá certo, persegue, violenta, mata e destrói.

A profecia diz que um dia toda a humanidade iria adorá-lo. Um dia Deus será reconhecido como o único Deus, o Criador, o soberano de todo o universo. Um dia o inimigo de Deus não mais existirá. Junto com ele desaparecerão para sempre todos os resquícios de pecado e maldade.

Como a profecia não se cumpriu plenamente com Israel, quando terá, então, seu desfecho final? A Bíblia é clara ao dizer, tanto no Apocalipse, quanto nos evangelhos, que será quando Jesus retornar segunda vez para buscar aqueles que O escolherem. Estes passarão um período de “férias” no céu por mil anos. Depois disso a terra será purificada com fogo e recriada para ser a morada eterna dos filhos de Deus de todas as épocas (João 14:2 e Apocalipse 20:10).

Nesse novo mundo, nesse novo estado de coisas, nesse novo tempo, os habitantes terão um encontro semanal com o Criador aos sábados. Repito o texto de Isaías 66:23: “De uma lua nova à outra [de mês em mês], e de um Sábado ao outro, virá toda a humanidade a adorar na minha presença, diz o Senhor”.

Esse assunto do sábado é tão importante quando simples de entender. O dia para o repouso, adoração e bênção de Deus foi instituído na primeira semana da criação do planeta Terra. Depois foi observado pelos patriarcas e, anos mais tarde, pelos israelitas. Deus, inclusive, incluiu em um dos mandamentos, o quarto, a recomendação expressa de observância do sábado (Êxodo 20:8-11).

Jesus, a mãe dEle, virgem Maria, todos os apóstolos e seguidores do cristianismo observavam o sábado religiosamente. Inclusive anos e anos depois da ressurreição de Jesus. O próprio Jesus chegou a declarar: “Não pensem que vim destruir a lei os profetas; não vim destruir, mas cumprir [dar o exemplo]” (Mateus 5:17).

A profecia de Isaías diz que no novo céu e na nova terra, no lar que Jesus foi preparar, teremos prazer em adorar o Criador no dia de sábado. Aí essa profecia terá o seu cumprimento pleno. Hoje ela está tendo um cumprimento parcial, em breve, porém acontecerá o cumprimento total.

Amigo ouvinte, Deus convida você hoje a seguir o exemplo de Jesus, da virgem Maria, dos santos apóstolos, dos grandes vencedores da Bíblia para observar o dia de sábado como dia separado para adoração, descanso e gratidão. Faça isso e saiba que ao crer em Deus e fazer a vontade dEle você estará seguro. Ao crer e seguir as orientações dos profetas, você prosperará!

 

Fonte:
Encontro com as Profecias
WGospel – Rede Maranatha de Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *