nova terra

Nova terra para Israel

nova terra

A profecia que estudaremos no programa de hoje vai nos fazer sonhar de uma forma muito intensa com o futuro. Está em Isaías 65:17 a 25 e, entre outras coisas, diz: “Vede, eu crio novos céus e nova terra. Não haverá lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão…Folgarei por causa de Jerusalém, e exultarei no meu povo; nunca mais se ouvirá nela nem voz de choro nem voz de clamor. Não haverá mais nela criança que viva poucos dias, nem velho que não cumpra os seus dias, aquele que morrer com cem anos, será tido por jovem… Edificarão casas, e nelas habitarão; plantarão vinhas e comerão do seu fruto. Não edificarão para que outros nelas habitem, nem plantarão para que outros comam… O lobo e o cordeiro apascentarão juntos, e o leão comerá palha com o boi”.

Essa profecia foi feita pelo profeta Isaías, aproximadamente no ano de 698 A.C. Para entendê-la corretamente é preciso um pouco mais de atenção. Por isso, vamos voltar um pouquinho na história. Deus tinha um sonho com Abrão, quando o chamou de Ur dos caldeus. Deus queria que Abrão fosse o pai de uma grande nação. Esta nação seria representante de Deus aqui nesta terra. O nome Abrão não servia para o tamanho do sonho de Deus, e o nome foi trocado para Abraão, que significa “pai de muitas nações” (Gênesis 17:5).

A família de Abraão foi crescendo, os seus descendentes foram prosperando. A família de Jacó, neto de Abraão, era grande e vivia numa região castigada pela seca e pela fome. Todos se mudaram para o Egito, pois lá já estava José. Após a morte de José os problemas começaram a surgir para os israelitas. Por fim se tornaram escravos dos egípcios. Deus, através de atos poderosos, livrou o povo do cativeiro, e no plano de Deus, os Israelitas deveriam ser referência para o mundo, a partir de então.

Dizem os historiadores que Deus colocou os Israelitas na encruzilhada do mundo. Todas as grandes estradas passavam pelo território de Israel. O sonho que Deus tinha com Israel era que se tornasse uma poderosa influência para as nações vizinhas. Israel falhou e foi para o cativeiro. Deus esperava que após 70 anos no cativeiro Babilônico, aprendessem a lição. Na profecia de Isaías, ao voltarem do cativeiro, passariam a viver uma nova situação – novo céu e nova terra.

O que temos que entender ao estudar esta profecia é o quê o profeta queria dizer com novo céu e nova terra. Todos os que estudam a Bíblia, ao lerem Isaías capitulo 65 crêem que o profeta esteja falando da nova terra, apresentada por João no Apocalipse. Os que crêem desta forma têm dificuldade em explicar a morte de velhos como ali é apresentado. Na nova terra que João descreve no Apocalipse, a morte não mais existirá.

Essa nova terra para os judeus significava, entre outras coisas:

Não teriam lembrança do seu passado de pecados, desobediência e de cativeiro. O passado seria esquecido. Todo o sofrimento da escravidão ficaria no esquecimento. Lembranças produzidas das separações não teriam mais importância. Ao voltarem para casa, em Jerusalém, o que encontrariam seria um mundo completamente diferente. O profeta estava afirmando que se eles fossem fiéis herdariam um lugar tão lindo, tão bonito, tão diferente, que eles não teriam nenhuma vontade de ficar pensando no passado. A paz e a glória da terra nova sobrepujariam os problemas e as angustias que viveram.

A segunda boa notícia é que o Deus criador do céu e da terra, não é um Deus que vive apegado ao passado, Ele é um Deus do presente. O homem tende a se apegar muito ao que ficou para trás. O meu passado amigo ouvinte, é tão insignificante que o Deus todo poderoso, não tem nenhum interesse nele. O passado não nos pertence mais. Esta profecia é uma prova disto. Por isso gostaria de dizer a você: não viva preso a nenhum sentimento relativo ao seu passado. Se você cometeu algum delito, algum grande ou pequeno pecado, peça perdão a Deus e a seu semelhante, e viva em paz com a sua consciência. Não há razão para temer nenhum passado, quando no presente eu estou ao lado de Jesus. Se, em algum momento, alguém vier jogando em seu rosto o seu passado, lembre-se que isto é próprio do ser humano, mas graças a Deus é só do ser humano, não é de Deus.

Na profecia de Isaías, Deus tinha um grande sonho com esta cidade. Ela seria a capital do mundo, uma referência para os outros lugares e culturas. Quando voltassem arrependidos e dispostos a servir ao Deus do céu, Jerusalém seria objeto de alegria perene de todos os seus habitantes. Nenhum morador teria razão para entristecer-se por nada!

A cidade, nos dias de Isaías, sofria com a presença constante de inimigos diante de seus muros. No sonho de Deus, porém, isso também chegaria ao fim. Na profecia é garantido que não haveria neste novo céu e nova terra, crianças de poucos dias. Isaías estava consolando os pais que, ao serem atacados, não tiveram tempo para defender aquilo que de mais precioso possuíam: os filhos. Esses, como profetizado, não durariam poucos dias, mas teriam uma infância calma, segura e feliz.

No próximo programa vamos estudar a resposta de Israel a esta profecia. Antes, porém, quero encerrar com a promessa da Palavra de Deus: creia no Senhor Deus e você estará seguro. Creia nos profetas dEle e você prosperará.

 

Fonte:
Encontro com as Profecias
WGospel – Rede Maranatha de Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *