moises

Última profecia para Moisés

moises

A profecia que estudaremos hoje é um misto de saudade, um pouco de tristeza e de muita confiança plena na direção de Deus. Eu, particularmente, gosto muito desta profecia.

Deus havia conversado muitas vezes com esse grande homem. Desta vez, porém, a fala de Deus o atinge diretamente. Ele tinha vivido com Deus, havia presenciado as maiores manifestações do Senhor. Agora, porém, é anunciado que ele sairia de cena. O tempo dele havia terminado; seu trabalho havia sido concluído.

Deuteronômio 33:48, 50 e 52: “Depois falou o Senhor a Moisés, naquele mesmo dia dizendo: Sobe à cadeia de montanhas de Abarim, ao monte Nebo, que está na terra de Moabe, defronte a Jericó, e contempla a terra de Canaã…E morre no monte ao qual, ao qual subirás… pelo que verás a terra diante de ti, porém não entrarás nela, na terra que darei aos filhos de Israel”.

Essa profecia foi feita pelo próprio Deus a Moisés, aproximadamente no ano de 1451 AC, quando já estavam na fronteira com a terra prometida. A ordem era clara: “Sobe ao monte Nebo”. Moisés subiu desde as planícies de Moabe até o monte Nebo, que ficava defronte de Jericó, e de onde ele foi capaz de contemplar toda a terra prometida. A visão foi aumentada e Moisés pode ver toda a beleza da terra que Deus tinha prometido ao povo de Israel.

Tente imaginar comigo o velho líder dando o ultimo abraço naqueles que estiveram bem próximos nos últimos 40 anos. Depois inicia uma caminhada silenciosa e solitária. Moisés está subindo sob a ordem de Deus. Naquela elevação deserta pôs-se em pé, e com vista clara olhou para o cenário que se espalhava diante dele. Ali ele viu ao ocidente as águas azuis do mar grande (o Mediterrâneo); ao norte o monte Hermom, com toda a sua imponência; ao sul estendia-se o deserto, no qual ele havia peregrinado por 40 anos. Ao olhar para esse lugar Moisés estava enxergando mais além. Ele via o que essa terra se tornaria pela benção de Deus. Via as montanhas ocupadas pelos cedros do Líbano, colinas cheias de olivais e rebanhos, campos cobertos de trigo e cevada.

Moisés estava com 120 anos de idade. Disso tudo ele gastou um terço conduzindo o povo de Israel à Canaã. Agora, o próprio Deus anuncia que a hora de morrer havia chegado. Moisés havia deixado várias vezes o acampamento em obediência a Deus, e na maioria delas foi para ter comunhão com o Senhor Deus; mas agora partia para uma missão sem retorno. Devia sair para entregar a vida nas mãos do Criador.

Uma coisa que me chama a atenção na vida de Moisés é que até na morte ele subiu. Hoje o mais fácil é descer. Satanás, o inimigo do bem, quer que você desça para a mediocridade, para o vício, para a mentira, para a prostituição. Deus, porém, amigo ouvinte, quer que você suba. No conhecimento e na prática da vida cristã, sem concessões, sem baixar o nível ou os padrões idealizados pelo Senhor Deus. Às vezes é preciso ir contra a maré do que é considerado normal ou aceito pela sociedade. Não esqueça: Deus sempre quer ver os filhos dEle subindo, crescendo, prosperando.

A Moisés foi dado o privilégio de contemplar toda a terra antes de morrer. Ele viu tudo, mas não pode entrar. Chegou perto, mas não desfrutou de nenhuma das riquezas e privilégios. Quero destacar, porém, que feliz é o homem que antes de exalar o ultimo suspiro, pode ter uma visão das promessas de Deus. Os últimos pensamentos de Moisés foram sobre a terra prometida. Dá prá dizer até que essa foi uma morte feliz.

A razão de Moisés não entrar em Canaã é explicada claramente em Deuteronômio 32:51 – “Pois fostes infiéis a mim no meio dos filhos de Israel, nas águas de Meribá de Cades, no deserto de Zim, não santificando o meu nome no meio deles”.

O que de fato aconteceu nas águas de Meribá, em 1453 AC? No livro de Números capítulo 20, versículos 8 e 11 temos a resposta: “Disse o Senhor a Moisés: Toma a vara, ajunta o povo, tu e teu irmão Arão. Na presença deles ordenai a rocha que dê as suas águas. Assim, lhes tirarei água da rocha, e dareis a beber ao povo e a seus animais. Então Moisés levantou a mão, e feriu a rocha duas vezes com a sua vara”. Esse foi o pecado que Moisés cometeu. Deus falou uma coisa e ele fez outra. Não era para bater, era só para falar e água iria jorrar para matar a sede da multidão. Moisés e Arão trouxeram a glória do milagre para eles e não para Deus.

Amigo ouvinte, dessa profecia podemos confirmar que Deus leva a sério as ordens que dá. O que Deus fala é para ser cumprido. Moisés, como muitos podem argumentar hoje, pagou um preço altíssimo por transgredir apenas uma ordem divina. Foi, porém crucial, trágica e decisiva. Como conseqüência, Moisés somente viu a terra prometida e não desfrutou de nada. Sim, Deus leva em conta todos os atos e pecados, sejam eles grandes ou pequenos. Isso é justiça.

A profecia se cumpriu plenamente em 1451 AC: “Assim Moisés, servo do Senhor, morreu ali, na terra de Moabe, como disse o Senhor. Este o sepultou num vale, na terra de Moabe” (Deuteronômio 34:5-6). Deus, porém, tinha uma surpresa para o velho Moisés. Logo em seguida o ressuscitou e o levou para o céu. Isso é amor! No momento da transfiguração de Cristo, Moisés estava ali, um dos enviados por Deus, para confortar e animar a Cristo diante da grande missão que precisava cumprir.

Amigo ouvinte, vale a pena obedecer sempre. Por isso, “creia no Senhor Deus e você estará seguro. Creia nos profetas dEle e você prosperará”.

 

Fonte:
Encontro com as Profecias
WGospel – Rede Maranatha de Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *