Bíblia

A Maior Prioridade

Bíblia

Púlpito com Poder

Este sermão é um oferecimento do Departamento de Comunicação da Associação Paulista Sudoeste

A Maior Prioridade

Introdução

1. O texto contém a receita de Deus para livrar a humanidade da ansiedade doentia que gera conflito, angústia e desespero.

A mensagem explica que, apesar de necessitarmos de coisas materiais, Deus deve estar em primeiro lugar.

I.Deus provê o necessário para o sustento

Essa verdade é ilustrada por Cristo com três figuras da natureza:

1. As aves do céu – v. 26.
a) As aves dormem e acordam cantando. Não vivem preocupadas.

b) Deus providenciou leis naturais para elas – Jó 38:41.

c) Isso, porém, não é uma apologia à displicência.

d) Ao mencionar a ilustração das aves, Jesus não estava liberando ninguém da responsabilidade do trabalho.

e) Você viu como as aves acordam cedo e saem à procura de alimento? Muitas vezes têm que voar longas distâncias para conseguir comida. Você tem que dormir e acordar louvando Meu nome, como as aves do céu, porque Eu sempre terei um grão de mostarda para você.

2. O crescimento humano – Essa ilustração mostra a nulidade da preocupação humana.
a) O que Cristo estava querendo enfatizar era o fato de que há coisas na vida que têm que ser aceitas e que a ansiedade com respeito a elas é tolice.

3. As flores do campo – v. 28.
a) Você já viu na época da primavera os campos floridos e perfumados? Já se abaixou para sentir em sua mão a beleza de uma flor do campo? E ficou extasiado, pensando como Deus pode criar tanta beleza?

“Nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles [os lírios]”, afirmou Cristo.

b) O conselho divino é: “Filho, não ande preocupado com roupa, ou aparência, ou comida, ou a idade. Lembre‑se das flores do campo, das aves do céu, do processo do crescimento humano.”

II. Primeiro Deus

1. “Buscai, pois, em primeiro lugar, o Seu reino e a Sua justiça” (v. 33). Como podemos relacionar esse conselho com a ilustração das aves, das flores e do crescimento? Em primeiro lugar notemos que as três apresentam os tipos de necessidades humanas.

a) A comida das aves – necessidades vitais, indispensáveis.

b) O vestuário das flores – necessidades “necessárias”.

c) A idade – necessidade imaginária. Adianta eu me preocupar para retroceder ou avançar no tempo?

Mas vejamos em que sentido Deus deve ser o primeiro:
1. As aves, ao nascer um novo dia, a primeira coisa que fazem é cantar, louvar a Deus, olhar o céu azul, contemplar o sol. As aves não acordam e saem a procurar comida como loucas.

2. A pessoa que cresce, não cresce em estatura ou idade porque se preocupa ou vive ansiosa.

a) O crescimento é uma consequência. Ela se alimenta, o tempo se encarrega do resto.

b) Você percebe o que Deus está querendo nos ensinar? O bebê não tenta correr e crescer. O bebê nasce e a primeira coisa que mexe é a boca, à procura de alimento.

Cristo é o leite, o pão, a vida. “Buscai primeiramente o reino de Deus” – isso é básico; o restante “será acrescentado”.

3. As flores do campo – o que cresce primeiro numa flor? São as pétalas, as folhas ou o talo?

a) Primeiro é a raiz que vai para baixo, fundo na terra, à procura da umidade, da água vital.

b) Cristo é a água. A flor não teria a beleza “maior que as glórias de Salomão”, se primeiro não procurasse a água vital e salvadora.

É isso que Cristo está nos dizendo: Busquem primeiro o Reino de Deus e a Sua justiça, e o mais será uma consequência.

III. O Reino de Deus e Sua Justiça

1. O que é o “Reino de Deus”? Mateus usou essa expressão 31 vezes. Ela expressa não o “Reino da Glória”, mas o reino que Cristo veio estabelecer entre os homens, no coração, na vida, na experiência. O Reino de Deus nesse contexto é uma forma de vida; coloca Cristo e Sua justiça acima de tudo.

2. Deus em primeiro lugar.

a) Na administração de nosso tempo, Ele deve ocupar o primeiro lugar. Antes de pensar no tempo para nós, temos que pensar no tempo de Deus: o sábado.

b) Na alimentação do nosso corpo; antes de pensar em nossos gostos e apetites, temos que pensar nEle e na maneira com a qual Ele quer que cuidemos do templo do Espírito Santo.

c) Na administração de nossos talentos, antes de usa‑los para nós, temos que pensar em como usa‑los para Deus.

d) Assim também deve ser com os tesouros. Deus primeiro, depois eu.

3. O ser humano será feliz na medida em que buscar “o reino de Deus e a Sua justiça”. De outra maneira sua vida será sempre ansiosa. Você correrá como louco à procura de coisas que se veem. É assim que vivem os homens que não conhecem a Deus. “Os gentios é que procuram todas estas coisas” (v. 32).

a) Correm atrás dos seus interesses, do dinheiro, de satisfazer o apetite e, se sobrar tempo, pensam em Deus.

b) O povo de Deus é diferente: busca primeiro as coisas de Deus. Em dar a Ele o primeiro lugar. Tudo o mais que precisa, Deus lhe dá como consequência do relacionamento de amor que existe entre ambos.

Conclusão

1. Não gostaria, meu irmão, de dizer ao Senhor Jesus:
“Ensina‑me a viver para Ti, ajuda‑me a fazer da cruz de Cristo o motivo de minha vida. Toma meu tempo, meus talentos, meu corpo e meus tesouros.

Enfim, Senhor, toma minha vida toda.”

Amém!

 
Enviado por: Pr. Laercio Mazaro
Escrito por: Pr. Alejandro Bullón

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *