onde estou

Onde estou? De quem sou?

onde estou

Prega a Palavra

Este sermão é um oferecimento do Departamento de Comunicação da
Associação Paulista Sudoeste

Onde estou? De quem sou?

Introdução

O texto para a mensagem de hoje está em Ageu 1:5-7 – “Ora pois, assim diz o Senhor dos exércitos: considerai os vossos caminhos. Tendes semeado muito, e recolhido pouco; comeis, mas não vos fartais, bebeis mas não vos saciais, vesti-vos, mas ninguém se aquece, e o que recebe salário, recebe-o para o meter num saco furado. Assim diz o Senhor dos exércitos: Considerai os vossos caminhos”.

Este é um apelo divino para que o ser humano revise os seus caminhos. Sabe por quê? “Porque há caminho que ao homem parece direito, mas o seu fim é a morte”. Prov. 14:12

Mas este apelo não é para qualquer ser humano, é um apelo específico para os membros da igreja.

Nos dias de Ageu o povo de Deus estava negligenciando a reconstrução do templo e o Senhor desafia aos seus filhos a “considerar” seus caminhos, ou seja, a reflexionar e avaliar seus procedimentos, atitudes e propósitos.

Há duas perguntas na Bíblia que nos ajudarão neste processo de reflexão e avaliação. A primeira Deus fez a Adão: “Onde estás?” Gên 3:9. A segunda, Davi fez a um egípcio achado no caminho quando o exército de Israel perseguia os amalequitas. A pergunta foi: “De quem és tu?” 1 Samuel 30:13

Estas duas perguntas são básicas em todo processo de avaliação espiritual, porque se as respondermos corretamente seremos o que Deus quer que sejamos, e estaremos onde Deus quer que estejamos.

Com isto em mente, analisemos os três lugares onde o cristão pode estar.

I – O cristão e o mundo

Primeiro pensemos nas seguintes perguntas: Estou no mundo? Sou do mundo? Jesus disse na sua oração intercessora de João 17:15: “Não Te rogo que os tires do mundo mas que os guardes do mal”.

O que é o mundo? Jesus chamou a Satanás o “príncipe deste mundo” e depois afirmou claramente que seu reino não era deste mundo, portanto, a Bíblia se refere ao mundo como o reino do diabo.

A triste realidade é que temos que viver neste mundo. Não há como nos isolarmos ou morar num convento tentando evitar o contato com o mundo. Por outro lado, Deus nos colocou nesta terra para refletir o Seu caráter às pessoas que ainda não O conhecem. Somos embaixadores de Deus nesta terra.

A outra realidade que deve ficar bem clara em nossa mente é que embora estejamos no mundo, não somos deste mundo. “Eu lhes dei a tua palavra, disse Jesus, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo”. João 17:14

Mas o diabo fará de tudo para que pensemos que pelo fato de estarmos no mundo, somos do mundo. E se você pensar que ele tentará tirá-lo da igreja, está errado. Claro que esse é o seu objetivo final, mas se ele conseguir levar você a mediocridade espiritual, já se dará por satisfeito.

Pense um pouco na sua experiência espiritual. Tem você rebaixado suas normas de conduta cristã? O que antes parecia ser pecado já não parece mais? Você começou a tolerar pequenas brechas no muro? Passou a fazer certas concessões? De repente, sem perceber, você já está falando como os mundanos, vestindo, arrumando-se, comendo, bebendo e divertindo-se como os mundanos.

Qual deve ser a atitude do cristão diante das tentativas do inimigo para invadir a nossa vida? Pense um pouco nesta ilustração. O barco navegava no mar, mas seria uma tragédia se o mar entrasse no barco. Assim também o cristão pode navegar no mundo mas não deve permitir que o mundo inunde sua embarcação. “Portanto qualquer que quiser ser amigo do mundo, constitui-se inimigo de Deus”, afirma Tiago 4:4

II – O cristão e a igreja

Façamos novamente a pergunta: Estou na igreja? Sou da igreja? Existe o grave perigo de estar na igreja e não ser dela. Reflexionemos então em nossa relação pessoal com a igreja.

O que é a igreja? Precisamos saber que ela não é um clube de santos, mas um hospital onde se curam enfermos. Não é uma assembleia de seres perfeitos que desejam mudar de vida.

A diferença que existe entre a igreja e o mundo é a mesma que existe entre um depósito de lixo e uma lavanderia. Em ambos os lugares existe sujeira, mas os resultados são diferentes. Você leva a sujeira ao depósito de lixo para acrescentar mais sujeira que finalmente vira uma podridão.

Enquanto você leva a sujeira à lavanderia para que ali se purifique e dê lugar à brancura da limpeza.
O mundo leva os seus de “mal a pior”. II Timóteo 3:13
Mas a igreja leva os seus para melhor. Provérbio 4:18

É interessante notar que Cristo ama e respeita a sua igreja. Ama-a como a Sua esposa (Efésios 5:25), como ao Seu próprio corpo (Efésios 2:19), como ao Seu rebanho (Joao 10:11). Que homem de respeito ficaria calado quando alguém fala mal de sua esposa?

Veja como Cristo cuida de Sua igreja: Como a um tesouro especial (Êxo. 19:5), como o mais sensível de Seu ser (Zacarias 2:8). Como o mais digno de proteção (Isaias 49:16).

Como é que Deus quer ver a Sua igreja? Ele tem muitos sonhos para a Sua Igreja, mas é impressionante como na Sua oração intercessora registrada em João 17, Jesus insiste na unidade.

“Para que eles sejam um” (João 17:11)
“Para que todos sejam um” (João 17:21)
“Para que sejam um” (João 17:22)
“Para que eles sejam perfeitos em unidade (João 17:23)

Por outro lado, qual é o plano do diabo para a igreja de Deus? Ele quer vê-la destruída e sabe que uma arma poderosa para conseguir esse objetivo é a divisão. Existe um ditado que afirma: “Quando dois brigam o terceiro se alegra”. Tudo o que provoca a divisão na igreja trás o carimbo do inimigo. Mateus 7:15 e 16 diz: “Guardai-vos dos falsos profetas, que vem a vós disfarçados de ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores. Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas de espinheiros ou figos dos abrolhos? ”

Aqui está a grande prova de todo aquele que se apresenta em nome do Senhor. Se promove divisão, vem do diabo.

Frequentemente, e ao longo da história, têm-se levantado movimentos e pessoas tentando reformar a igreja. Estas pessoas são conhecidas basicamente porque:
Pretendem levar a igreja ao reavivamento.
Acusam os líderes.
Agem independentemente e tentam levantar irmãos inocentes contra o corpo da igreja.

O Espírito de Profecia diz acerca deles: “Aos que se põem a proclamar uma mensagem sob sua responsabilidade pessoal, e que, ao mesmo tempo que se declaram ser ensinados e guiados por Deus, constituem sua obra especial derribar aquilo que Deus durante anos tem estado a erguer, não estão cumprindo a vontade de Deus. Saiba-se que esses homens se encontram do lado do grande enganador. Não os creiais. Estão-se alistando com os inimigos de Deus e da verdade. Porão a ridículo a ordem estabelecida no ministério, considerando-as um sistema eclesiástico imperialista. Afastai-vos desses; não tenhais comunhão com sua mensagem, por muito que eles citem os Testemunhos e atrás deles busquem entrincheirar-se. Não os recebais; pois Deus não os incumbiu dessa obra. O resultado de semelhante obra será incredulidade nos Testemunhos, e nos limites do possível, tornarão sem efeito a obra que por anos tenho estado a fazer. Testemunhos Seletos, II, pág. 357

Ouça o apelo do apóstolo Paulo: “Rogo-vos, pois eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis como é digno da vocação com que fostes chamados. Com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, procurando diligentemente guardar a unidade do Espírito no vínculo da paz. Há um só corpo e um só espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; um só senhor, uma só fé, um só batismo, um só Deus e pai de todos o qual é sobre todos, e por todos e em todos.” Efésios 4:1-6

III – O cristão e o céu

Novamente as perguntas: Estou no céu? Sou do céu? Existem alguns que já estão no céu fisicamente: Enoque, Moisés, Elias. Felizes são eles!

Mas nós não estamos ali embora sejamos do céu. Deus declara que somos Seus: “Não temas, porque eu te remi, chamei-te pelo teu nome, tu és meu. ” Isaías 43:1

Paulo também diz: “De sorte que, quer vivamos, quer morramos, somos do Senhor. ” Romanos 14:8

E mais adiante, escrevendo aos efésios, ele confirma: “Assim pois, não sois mais estrangeiros, nem forasteiros, antes sois convidados dos santos e membros da família de Deus”. Efésios 2:19

Conclusão

Lembremos das duas perguntas chave: Onde estamos? De quem somos?

Estamos no mundo, mas não somos do mundo. Somos do céu mas ainda não estamos no céu.

A pergunta é: Estamos na igreja e somos da igreja? Estamos nela porque talvez já fomos batizados e assistimos a cada sábado aos cultos. Mas, somos realmente da igreja? Ou qualquer vento é capaz de levar-nos para outros caminhos?

Quantos gostariam de reconsagrar sua vida a Deus agora?

Amém!

Enviado por: Pr. Laercio Mazaro
Escrito por: Pr. Alejandro Bullón

Uma opinião sobre “Onde estou? De quem sou?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *