Arquivo da tag: meditação

Renove seu compromisso

sol04

Mas, se tu buscares a Deus e ao Todo-Poderoso pedires misericórdia, se fores puro e reto, Ele, sem demora, despertará em teu favor e restaurará a justiça da tua morada. O teu primeiro estado, na verdade, terá sido pequeno, mas o teu último crescerá sobremaneira. Jó 8:5-7

A irmã Petronila,era dona de um concorrido restaurante na selva de Ma­dre de Dios, Peru. Era uma mulher próspera em seu negócio. Porém, em 2011, ela passou por sua maior prova. O marido, apesar de ser adventista, notou que os dízimos que ela enviava à igreja eram “muito altos”, e assim propôs a ela que devolvesse apenas a metade.
 
Petronila não sabia o que fazer. Como a pressão do marido aumentava, ela acabou cedendo e decidiu entregar apenas a metade do dízimo para evitar problemas. Decorridos alguns meses, o negócio continuou prosperan­do, apesar da infidelidade. Porém, novamente o marido se opôs ao dízimo dizendo: “A metade do dízimo ainda é muito. Devemos devolver apenas a quarta parte.” Petronila ficou muito triste, mas novamente acolheu a deci­são do marido.
 
Passado algum tempo, eles fizeram um empréstimo bancário para reno­var toda a infraestrutura do restaurante. Porém, as circunstâncias muda­ram. Começou a faltar dinheiro, as vendas já não eram as mesmas. Desta vez, o marido decidiu não entregar o dízimo, nem mesmo a quarta parte. O negócio foi desmoronando e os problemas no lar aumentando. Então, decidiram abrir o restaurante aos sábados para obter o dinheiro que deviam ao banco e pagar outras dívidas. Finalmente, o restaurante faliu. Desespe­rados, ela e o marido decidiram procurar emprego para sustentar a casa.
 
Certo dia, Petronila decidiu demitir-se do trabalho e voltar para a igreja. Depois de algum tempo, a oportunidade bateu à sua porta. Para sua surpre­sa, ofereceram-lhe um bom empréstimo para iniciar um negócio. Ela não podia crer. Então decidiu iniciar com um pequeno projeto. No entanto, des­sa vez, decidiu fazer o certo, apesar da opinião do marido. Não trabalharia aos sábados e seria fiel desde o início na devolução dos dízimos e ofertas. Em sua primeira semana de trabalho, entregou o dízimo total. Nas semanas seguintes, Deus abençoou o pequeno empreendimento de Petronila e ela correspondeu às bênçãos com sua fidelidade.
 
Petronila
União Peruana do Su

Fidelidade não tem preço

pôr do sol

Será por nós justiça, quando tivermos cuidado de cumprir todos estes mandamentos perante o SENHOR, nosso Deus, como nos tem mandado. Deuteronômio 6:25

Maria procurava seguir fielmente a Palavra do Senhor. Contudo, passava por momentos difíceis com seu esposo, que estava afastado dos cami­nhos de Deus. Ambos chegaram a pensar na separação, pois não sabiam mais como resolver seus problemas.
 
Após assistir ao seminário de enriquecimento espiritual em sua igreja, Maria começou a ter uma comunhão mais íntima com Deus, nas primeiras horas de cada dia.
 
Com o exemplo de Maria, seu esposo se aproximou novamente da igreja, e o relacionamento dos dois foi restaurado.
 
Nos meses seguintes, Maria enfrentou um problema grave na garganta. Por ser professora, teve que parar de exercer a profissão, pois quase perdeu a voz. Durante os seis meses em que ficou afastada da sala de aula, continuou seu propósito de fidelidade e de comunhão com Deus. Porém, no fim desse período, a diretora tentou dispensá-la.
 
Maria, contudo, foi transferida para outra escola, exercendo uma função diferente, com a esperança de que em breve pudesse voltar a dar aulas. No entanto, ao fazer novos exames, ela recebeu afastamento por mais uni ano. Desanimada, orou a Deus: “Senhor, estou em Tuas mãos. Sei que tens um propósito para mim.”
 
Quando chegou à escola, foi conversar com a diretora sobre o resultado dos exames. Para sua grande surpresa, a diretora tinha novos planos. Em reunião, foi decidido que Maria seria a nova coordenadora do Programa Mais Educação.
 
Depois de atuar alguns anos como coordenadora, ela foi convidada para ser diretora da escola em que trabalhava. Entretanto, o dia marcado para tomar posse de seu novo cargo foi um sábado. Mais uma vez, ela optou por permanecer fiel a Deus, mesmo que tivesse que perder essa oportunidade. Passou o sábado em sua igreja, e, no fim do dia, recebeu uma ligação da Se­cretaria de Educação. Eles a parabenizaram por ter conquistado a diretoria da escola mesmo sem estar presente ao evento.
 
Hoje, ela e o esposo são gratos a Deus por Sua direção e cuidado.
 
Maria Madalena Santos Silva Mendes
União Norte-Brasileira

Deus é fiel

sunset-815270_640

Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria. 2 Coríntios 9:7

 
Tudo começou em agosto de 2012. Eu trabalhava na cidade de El Alto, em um consultório dentário. Quando comecei minhas atividades ali, mencionei que não poderia ir aos sábados. De início, a dentista aceitou, mas, depois de um ano, repentinamente ela me disse que eu teria de traba­lhar aos sábados porque o consultório ficava cheio de pacientes nesse dia.
 
Se eu não aceitasse, seria despedido. Ela me pediu que lhe dessa a resposta até o dia seguinte. Eu decidi ser fiel a Deus. No dia seguinte, a dentista quis saber qual era minha decisão, e eu lhe disse que não poderia trabalhar aos sábados.
 
Minha esposa e eu havíamos pensado em trabalhar por dois ou cinco anos como empregados, mas, de repente, aconteceu tudo isso e em algumas semanas eu estava sem trabalho. Não tínhamos ideia do que iríamos fazer. Pensar em montar um consultório era um sonho muito distante, pois era necessário muito dinheiro.
 
Oramos a Deus para que Ele fizesse a Sua vontade. Em dois meses conseguimos um empréstimo para nosso consultório. Graças a Deus, nun­ca nos faltou nada, mas o que nos preocupava era essa nova vida, pois não tínhamos conseguido economizar nem a quarta parte da nossa dívida.
 
No fim do mês, ao fechar o caixa com minha esposa, pensei: “Ah, temos de devolver o dízimo!” Não o dávamos de coração, mas por obrigação. Pedi­mos perdão a Deus e Lhe rogamos que nos abençoasse para que devolvês­semos o dízimo com espírito de gratidão a Ele.
 
Realmente, Deus nos abençoou e, em apenas três meses, pudemos reu­nir a primeira parcela. Além disso, pagamos com um mês de antecedência. Sem dúvida, quando somos fiéis a Deus, Ele abre portas que nem mes­mo imaginamos. O empréstimo deveria ser pago em um período de quatro anos, mas, graças a Deus, nós o quitamos em apenas dois.
 
Minha esposa e eu aprendemos a confiar plenamente em Deus e sabemos que Ele nunca nos deixa ou abandona. Somos muito agradecidos por tudo.

Israel Amet Alcázar de Ia Fuente
Igreja Sopocachi, Bolívia

De inimigo a dizimista

sol02

Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus. Filipenses 4:6, 7

 
José trabalhava na manutenção de casas noturnas, especialmente durante o sábado. Apesar de ter muito serviço, nunca lhe sobrava dinheiro para nada, além de muitas dívidas que precisava pagar. Para ele, religião não era um assunto a ser discutido.
 
Contudo, um de seus amigos insistia em conversar com ele sobre a Bí­blia. Certo dia, com a intenção de rebater tudo o que o colega afirmasse, José aceitou discutir sobre o tema. Ao ouvir do amor de Deus não teve pa­lavras para contrariar seu amigo e acabou se comovendo.
 
Dia após dia, sentia que sua vida estava se transformando. Logo, ele e o amigo começaram a fazer um estudo aprofundado das verdades bíblicas. Quando aprendeu sobre o plano financeiro de Deus para manter Sua obra, começou a devolver o dízimo e, pouco depois, a ofertar 3% de seu salário.

Nos estudos que se seguiram, aprendeu que o sábado é o dia especial de descanso e adoração e, mesmo com dívidas a pagar, abandonou seu empre­go. Quando estava preparado, aceitou o batismo e, com ele, toda a família foi batizada.
 
Passou a trabalhar no ramo de peças náuticas e, gradativamente, foi au­mentando seu pacto de ofertas. Dois anos depois, já estava devolvendo 10% de pacto, além de sua fidelidade nos dízimos. Seus negócios cresceram, e ele conseguiu pagar todas as dívidas. Com a experiência adquirida e o bom andamento do comércio, José conseguiu abrir sua própria empresa.
 
Infelizmente, no ano de 2008, a crise mundial abalou sua estabilidade fi­nanceira. Tendo que pagar uma conta alta, José orou a Deus e pediu que lhe proporcionasse o dinheiro necessário. No mesmo dia, recebeu o pagamento de uma dívida antiga que não esperava mais receber. O valor era equivalente à quantia de que precisava. Essas e muitas outras experiências fortaleceram sua fé e a de seus familiares, os quais confiaram ainda mais em Deus e no que Ele está disposto a fazer por aqueles que clamam por Sua ajuda.

 
José Alves
União Sul-Brasileira

Resposta inesperada

por do sol

Conceda-te segundo o teu coração e realize todos os teus desígnios. Salmo 20:4

Deus reserva bênçãos especiais para os que Lhe são fiéis. Esse é o caso da família de Estela e Ricardo Medina.
 
Quando o casal realizou o primeiro seminário de enriquecimento espiri­tual, entendeu que deveria dar um passo de fé. Estela e Ricardo não apenas se propuseram a ser fiéis a Deus na devolução do dízimo, mas decidiram dar uma oferta na mesma porcentagem do dízimo.
 
No fim de 2012, Estela tomou a decisão de iniciar um empreendimento pessoal desafiador: fazer e vender trabalhos manuais especialmente volta­dos para atividades com as crianças. O empreendimento foi iniciado sob o nome de: Mãos com Arte. Deus abençoou o empreendimento e Estela começou a vender seu artesanato nas reuniões trimestrais e no colégio adventista em que sua filha Lúcia estuda.
 
Deus abençoou o empreendimento, e Estela, agradecida, decidiu não apenas devolver o dízimo e dar suas ofertas, mas também dar uma oferta das “primícias” dos primeiros três meses de trabalho. Seu empreendimento continuou crescendo, graças a Deus.
 
No início de 2013, a igreja que eles frequentavam estava iniciando os preparati­vos para o IV Campori de Desbravadores da DSA. Havia grande expectativa. Como família, eles sempre foram ligados ao clube. Com esforço, juntaram o dinheiro para que Lúcia pudesse participar. Havia alegria e o sonho parecia uma realidade.
 
O filho mais velho dos Medina, Cláudio, tinha o mesmo desejo de assis­tir ao campori. Ele estava distante, em outra cidade, trabalhando por conta própria. Tinha tudo planejado, pois com o dinheiro de seu trabalho poderia viajar e assistir ao campori, em Barretos, SP.
 
Contudo, seus empreendimentos não se concretizaram como esperado e, por fim, Cláudio telefonou para a mãe para dizer-lhe que não poderia ir ao campori. Condoída pelo filho, Estela não sabia o que dizer.
 
Na manhã do dia seguinte, durante o culto, Deus a impressionou com a ideia de que o “Mãos com Arte” iria pagar a viagem. Ligou para o filho, contou-lhe o ocorrido e pediu que orasse, porque ela necessitaria de muito trabalho. Deus proveu tudo para que Cláudio participasse do campori, o que foi uma experiência marcante na vida desse adolescente.
 
Estela Medina
Buenos Aires, Argentina