Arquivo da tag: profecia

Réplica da estátua de Nabucodonosor chama a atenção em cidade da Ucrância

O que sua equipe poderia fazer para chamar a atenção das pessoas para um evento de saúde, ou de profecias bíblicas?

“Podemos organizar um evento com diversos detalhes. Nós podemos arrumar um local apropriado. Podemos formar a equipe de voluntários. Nós podemos desenvolver toda a logística. Mas, em seguida, curiosamente, a campanha de comunicação pode não ser suficientemente eficaz, o público pode acabar por não tem conhecimento das reuniões e, portanto, não comparecerem.” Este é o pesadelo de todos os líderes da igreja que têm a missão no coração .

Adventistas do Sétimo Dia na cidade de Enerhodar, conhecida como a “capital da energia elétrica” da Ucrânia, asseguram que, no seu caso, estão conseguindo atrair a atenção das pessoas. Encontraram uma nova maneira de realizar o convite.

Sempre prontos para inovar, eles ergueram uma estátua de 8 metros de altura, a fim de atrair as pessoas para as reuniões “Saúde Familiar”, um ministério evangelístico com foco na saúde, para aqueles que ainda não estão prontos para ir à igreja, mas querem se familiarizar com os seus ensinamentos.

A réplica (uma estrutura inflável representando a estátua da Babilônia que de acordo com Daniel 2 na Bíblia, o rei Nabucodonosor viu em um sonho que Deus lhe deu) foi colocada no centro da cidade, que possui cerca de 55.000 habitantes, localizada na região sul deste país da Europa Oriental.

Um dos objetivos do evento era também mostrar as profecias bíblicas e evidenciar como elas aconteceram segundo a Bíblia.

Uma boa ideia, não? Que tal fazer isso em sua cidade? Veja abaixo a foto da réplica.

Réplica da estátua de Nabucodonosor em cidade da Ucrânia.

De acordo com os organizadores, os convidados voltaram para assistir a programação após a primeiro dia, e ainda levaram outros amigos.

Você pode ver a reportagem completa em: Adventiste Magazine

A batalha é do Senhor!

batalha_Senhor-

A profecia que vamos estudar hoje se reveste de um sentido muito especial, porque todos os que tem acompanhado o programa Encontro com as Profecias, poderão entender a razão do texto bíblico que tenho mencionado todas as vezes ao final do programa.

II Crônicas 20:15 e 17 “Assim vos diz o Senhor: Não temais, nem vos assusteis por causa da grande multidão. Pois a peleja não é vossa… Nesta peleja não tereis que de pelejar. Parai, e estai em pé e vede a salvação do Senhor… Amanhã saí-lhes ao encontro e o Senhor será convosco”.

Essa profecia foi feita por Jaaziel, que viveu em torno do ano de 896 AC. Jaaziel, da tribo de Levi, foi usado por Deus para profetizar sobre a vitória de Israel contra um poderoso exército, formado pelos Moabitas, Amonitas e Meunitas. Esses povos se uniram para saquear e destruir Judá. O rei, nessa época, era Josafá. Ele foi o quarto rei de Judá e reinou nos anos de 873 a 849 AC. Josafá foi um rei que fez a vontade do Senhor em todos os seus 25 anos de reinado. Só que agora não sabia o que fazer, a não ser buscar a Deus.

Amigo ouvinte, o que chama a minha atenção é a atitude de Josafá diante dessa situação. Note: “Temeu Josafá, e pôs-se a buscar o Senhor, e apregoou jejum em todo o Judá” (II Crônicas 20:3). Um homem de Deus sempre terá esta atitude. Buscará ao Senhor com todas as forças. Josafá chegou a dizer: “Não sabemos o que fazer, mas os nossos olhos estão postos em Ti” (20:12). O povo, ao ver o exemplo do rei, imediatamente o imitou. “Judá se ajuntou para pedir socorro ao Senhor…e o povo veio para buscar ao Senhor” (II Crônicas 20:4).

Enquanto o rei e todo o povo confessavam a Deus a sua fragilidade, um dos filhos de Israel, se levantou e fez uma profecia que, para alguns, era um conforto, um alívio, mas, para outros, era algo desesperador. A principal razão do desespero é que Jaaziel nunca havia feito uma profecia. Ele não era um profeta. O povo não o conhecia como profeta. Não tinha a experiência. Outra razão que desesperava o povo de Israel, era que o novo profeta dizia que nesta batalha ninguém teria que lutar. “Esta batalha é do Senhor. Nesta batalha não tereis que pelejar”.

A batalha seria de Deus, porém o povo precisaria ir e parar diante do inimigo e assistir a atuação do Senhor dos exércitos. Ah! meu amigo, quando nós vamos compreender que na guerra contra o mal, a batalha é do Senhor? Ele é quem luta por nós! O meu e o seu problema sempre serão de Deus, porém Ele não fará a nossa parte. Precisamos enfrentar o inimigo sem demora!

Muitas vezes, quando decidimos sair para enfrentar o inimigo, já é tarde demais. Amigo ouvinte, não perca tempo, não se atrase, saia logo e enfrente o seu “leão de todo o dia”. Encare-o, certo de que Deus estará ali para lutar ao seu lado.

Problemas não precisam ser postergados. Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje. Há pessoas que sempre estão deixando para começar a fazer exercício físico na segunda-feira. Outros vão deixar de comer gordura, também amanhã. Outros vão começar a ler a bíblia amanhã. Viva o hoje! O amanhã é incerto!

O povo de Israel estava temeroso com a profecia de Jaaziel. Será que isso dará certo? Será que vai funcionar? Não vamos precisar levar nenhuma pedra, nem uma pequena faca? Não, disse Jaaziel. Só deverão sair bem cedo e assistir o que Deus vai fazer.

Não era fácil crer. O rei, porém, assume o papel de líder, e de manhã bem cedo, sai com o povo para o deserto de Tecoa e diz o seguinte: “Crede no Senhor vosso Deus e estareis seguros, crede nos seus profetas e prosperareis” (II Crônicas 20:20)

Não havia espaço nem tempo para análises ou questionamentos. Era hora de crer e não duvidar do Deus do céu. Era a hora de todos se envolverem com o Senhor e esperar o socorro. Também era hora de crer no que o profeta havia falado.

Permita-me falar um pouco sobre o significado da palavra “crer”. A melhor definição que até hoje descobri é: “envolvimento”. Hoje, o que mais o ser humano precisa, é de envolvimento com Deus, sem estar discutindo se está certo ou errado. Amigo ouvinte, quando Deus fala, eu só devo ter uma atitude: envolvimento. Não fique brigando com o que Deus diz, se envolva com Ele!

Os nossos amigos israelitas de manhã cedo saíram, de acordo com a palavra do profeta e o que viram e fizeram foi maravilhoso. Apenas cantaram sobre a grandeza de Deus. Algo estranho e surpreendente ocorreu. II Crônicas 20:22, conta: “E ao tempo que começaram com jubilo e louvor, o Senhor pos emboscadas contra os filhos de Amom e de Moabe e os das montanhas de Seir, que vieram contra Judá, e foram desbaratados”.

Os inimigos do povo de Deus foram derrotados e a nação de Judá foi libertada unicamente pela atuação de Deus. A Bíblia conta que os povos vizinhos, ao saberem do que tinha acontecido, começaram a temer o Deus do céu.

Portanto, amigo ouvinte, não esqueça nunca: “Crede no Senhor vosso Deus e estareis seguros, crede nos seus profetas e prosperareis”. Isto foi real para os habitantes de Judá no ano de 896 AC e pode ser real para você agora! Hoje, nesse momento!

 

Fonte:
Encontro com as Profecias
WGospel – Rede Maranatha de Comunicação

Consequencias do orgulho

orgulho

A profecia que vamos estudar neste programa está registrada em II Reis 20: 17-18 “Eis que vem dias em que tudo quanto houver em tua casa, e o que entesouraram teus pais até ao dia de hoje, será levado a Babilônia; não ficará coisa alguma, disse o Senhor. E ainda até de teus filhos, que procederem de ti, e que tu gerares, tomarão, para que sejam eunucos no paço do rei de babilônia”.

Esta profecia foi feita por Isaías, nos dias que Ezequias era rei de Judá, mais ou menos no ano de 713 AC. Ezequias reinou em Jerusalém de 716 a 687 AC. Para entendermos o porquê desta profecia, devemos voltar um pouco na história. O rei Ezequias estivera doente. Chorou e pediu a Deus para viver um pouco mais e acabou ganhando mais quinze anos de vida. Ezequias pediu um sinal da parte de Deus, como confirmação, de que sararia, e este sinal envolvia o recuo da sombra do relógio de Acaz em dez graus. Em Babilônia, sábios que estudavam os astros, notaram este fenômeno na natureza e descobriram que isto era fruto de um sinal favorável de Deus a Ezequias.

Uma comissão foi enviada para cumprimentar o rei de Judá pela cura e oferecer presentes. Os Babilônicos não estavam em evidência no mundo nessa época, mas sim os Assírios. Muitos comentaristas dizem que os presentes tinham provavelmente a intenção de encorajar Ezequias a também se revoltar contra os Assírios.

Merodaque-Baladã, que era o rei de Babilônia, ao enviar os mensageiros esperava entregar presentes e buscar apoio político para as suas novas conquistas. Os embaixadores, porém, foram surpreendidos com a postura do rei de Judá. II Reis 20:13 conta que “Ezequias recebeu os mensageiros e lhes mostrou toda a casa de seu tesouro, a prata, o ouro, as especiarias, e os melhores ungüentos, a sua casa das armas, e tudo o que havia nos seus tesouros; coisa alguma houve que não lhe mostrasse, nem em sua casa, nem em todo o seu domínio”.

Sem dúvida um dos objetivos de Merodaque-Baladã era buscar mais informação sobre o Deus com poder de fazer a sombra do sol regredir dez graus. Ezequias perdeu a grande chance de mostrar a grandeza do seu Deus. A oportunidade estava ali, diante de seus olhos, para mostrar aos viajantes do outro lado do Jordão as maravilhas do Deus do céu. Mas o orgulho e a vaidade tomaram posse do coração de Ezequias e esqueceu por completo o milagre recebido.

Ah! Amigo ouvinte, como é fácil, após sermos grandemente beneficiados, esquecermos do nosso benfeitor. Muitos já estiveram à beira da morte e ali, no desespero, fizeram muitos propósitos, muitos votos, muitas promessas. Só que, após a recuperação, foram esquecendo aos poucos da bênção recebida.

Para Ezequias era mais fácil e interessante falar das conquistas, dos armamentos, dos tesouros e de sua corte. Como é fácil para o ser humano destacar seus feitos, suas riquezas, seu poder, sua inteligência. Em resumo: falar de si mesmo e esquecer de Deus.

O profeta Isaías, que viveu em Jerusalém nos dias dos reis Uzias, Jotão, Acaz e Ezequias, profetizou que esse mesmo povo voltaria, não para trazer presentes, mas para levar toda a riqueza que foi mostrada, inclusive os filhos do próprio Ezequias que seriam levados como escravos.

Esta profecia demorou mais de um século para ser cumprida. Tanto Ezequias, como Isaías, não presenciaram o cumprimento. Mas no ano de 605 AC, Nabucodonosor, rei de Babilônia invadiu Judá. II Reis 24:1,13 e 14 relata: “Nos dias de Jeoaquim subiu Nabucodonosor…e invadiu a terra…Tirou dali todos os tesouros da casa do rei e despedaçou a todos os vasos de ouro, que fizera Salomão, rei de Israel…Deportou de toda a Jerusalém, como também todos os príncipes, todos os homens valentes, dez mil presos, e todos os artífices e ferreiros; ninguém ficou senão o povo pobre da terra”. Todo o relato está nos capítulos 24 e 25 de II Reis.

Perceba que cerca de cem anos antes o profeta Isaías tinha profetizado sobre este momento. A primeira invasão dos babilônicos ocorreu em 605 AC. Em 589 Nabucodonosor voltou e cercou Jerusalém. O sitio começou no nono ano de Zedequias e só terminou no décimo primeiro ano, no quarto mês. Pelos números, foi um longo período de cerco. A fome foi apertando e, então, numa noite, o muro foi arrombado e os homens de guerra de Judá fugiram, inclusive o rei. Mas não tiveram sucesso na fuga, o exército inimigo os alcançou e o que aconteceu foi de uma verdadeira chacina. II Reis 25:6-7 diz: “Então prenderam o rei e o fizeram subir ao rei de Babilônia, a Ribla, onde foi pronunciada a sentença contra ele. Aos filhos de Zedequias degolaram na presença dele, e a ele lhe furaram os olhos, e o ataram com duas cadeias de bronze, e o levaram para Babilônia”.

O que chama a minha atenção foi o que motivou esta profecia. Na minha maneira de ver foi o orgulho. O rei Ezequias, após tem uma das maiores bênçãos de Deus, a da saúde, não aproveitou para testemunhar do Deus do céu para os seus visitantes. O rei orgulhoso apenas se preocupou em mostrar riquezas, ouro e armas.

Amigo ouvinte, não esqueça que o orgulho sempre precede a queda. Quando você encontrar um orgulhoso, alguém que acha que “ele é o bom”, que “ele sempre está certo”, tenha apenas um sentimento: o de piedade. Porque se ele não mudar, em breve o pó será o seu destino..

Pense nisso e creia no Senhor Deus para estar seguro. Creia nos profetas dEle e você prosperará.

 

Fonte:
Encontro com as Profecias
WGospel – Rede Maranatha de Comunicação

Quinze anos de presente!

relogio acaz

A profecia que vamos estudar hoje está em II Reis 20: 5 e 6 “Volta, e dize a Ezequias, chefe do meu povo: Assim diz o Senhor Deus de teu pai Davi: Ouvi a tua oração, e vi as tuas lágrimas. Eis que eu te sararei; ao terceiro dia subirás à casa do Senhor. E acrescentarei aos teus dias quinze anos…”

Essa profecia foi feita por Isaías. Vamos conhecer um pouco da história desse grande profeta. Ele foi contemporâneo de Uzias, Jotão, Acaz e Ezequias, todos reis de Judá. Isaías era filho de Amós e desenvolveu seu ministério no reino do sul, com capital em Jerusalém, entre os anos de 742 e 687 AC.

A profecia de hoje envolve o rei Ezequias. Foi o décimo segundo rei de Judá. Reinou por vinte e nove anos, de 716/715-687/686 AC. Era filho de Acaz, e nasceu em torno do ano de 740 AC. Era descendente de Davi e foi um bom rei em Judá. O seu nome significa “Jeová é a força”. Tornou-se conhecido por sua piedade pessoal e por suas atividades políticas bem sucedidas. Promoveu grandes reformas espirituais, inclusive ordenou que os bosques onde Aserá era adorado fossem destruídos.

Durante o reinado de Ezequias Judá foi invadida por Sargão II e Senaqueribe, ambos reis da Assíria. Também foi o responsável pela construção de um túnel no monte Ofel, que trazia água das fontes de Giom, para dentro das muralhas de Jerusalém.

No ano de 701 AC Ezequias adoeceu e o profeta Isaías foi mandado ao encontro dele com uma mensagem estranha: “Põe a tua casa em ordem, porque morrerás e não viverás” (II Reis 20:1). O rei ficou assustado e buscou a Deus. “Então virou Ezequias o rosto para a parede, e orou ao Senhor” (II Reis 20:2). Perceba que ele não culpou a ninguém, não se revoltou, mas fez o que todos deveríamos fazer, numa situação como essa. Na sua oração Ezequias mencionou sua fidelidade e dedicação a Deus.

Diz o relato bíblico que Isaias já havia saído do quarto do rei, mas não totalmente do palácio, e uma nova mensagem foi dada. O profeta, sob a ordem de Deus, retorna com um recado maravilhoso. Deus havia ouvido as orações e visto as lágrimas de Ezequias.

Amigo ouvinte, talvez a história de Ezequias seja a sua história. Eu quero falar a você que está enfermo, está confinado em uma cama por muitos anos. Quero chamar a sua atenção para três pontos básicos.

O primeiro ponto é que devemos por a vida em ordem. A mesma ordem dada a Ezequias é válida para todos nós. A morte é a coisa mais certa que temos pela frente. A qualquer momento o coração poderá deixar de bater, um acidente grave poderá acontecer, uma doença fatal poderá nos atingir. A vida pode acabar a qualquer momento. Por isso, não devemos perder tempo com brigas ou inimizades. A vida é muito curta! Coloque-a em ordem!

O outro ponto, muito bonito nessa profecia, é que Deus está vendo o que está acontecendo com você. Deus sabe que hoje você está feliz porque depois de anos conseguiu a sua casa própria ou porque passou no vestibular ou por qualquer outro motivo. Deus sabe, Deus vê. Mas Deus também sabe das suas dores, das suas aflições, das suas ansiedades. Nada passa despercebido diante dos olhos de Deus. Deus viu as lágrimas de seu filho Ezequias. Deus vê as suas também!

E o terceiro ponto que me chama a atenção: Deus ouviu a oração de Ezequias. O profeta nem havia saído do palácio e já foi dada uma nova ordem a Isaias. Amigo ouvinte, Deus sempre ouve as nossas orações. Deus vai ouvir a sua voz, e pode ter certeza que o melhor será feito!

A mensagem era clara. O rei sararia e no terceiro dia iria ao templo, como prova da cura e que teria mais quinze anos de vida. Ao ouvir esta boa notícia, à semelhança de muitos outros, Ezequias pediu um sinal, que o relógio de Acaz retrocedesse 10 graus (II Reis 20:9). O profeta orou e o sinal pedido aconteceu. Foi curado completamente!

Lá do outro lado do Jordão, nos férteis vales do Tigre e do Eufrates, viviam homens sábios que dedicavam muito tempo ao estudo da astronomia; e quando notaram que a sombra do quadrante solar havia regredido dez graus, ficaram grandemente maravilhados. O rei Merodaque-Baladã, de Babilônia, tendo sido informado de que esse milagre se realizara como sinal da benção de Deus ao rei de Judá, enviou mensageiros até Jerusalém para conhecer mais essa história.

Quando os visitantes chegaram, porém, Ezequias se preocupou em mostrar as riquezas do seu reino e perdeu a grande oportunidade de falar de Deus em sua vida. Imagine que oportunidade Ezequias teve de falar do poder de Deus, de como a sua vida foi milagrosamente poupada! Mas o orgulho tomou conta do coração e o rei apenas mostrou os seus tesouros, a fortuna, a riqueza… Infelizmente, esqueceu de falar dAquele que fizera tudo por ele!

Amigo ouvinte, tudo o que temos foi dado por Deus. Porém, hoje o problema se repete. A maioria esquece que, se estamos vivos agora é apenas pela graça de Deus. Atribuem os milagres silenciosos do Criador à sorte ou coincidência. É comum ouvirmos estas frases: “Hoje por sorte não fui atropelado por um carro.” “Que sorte que meu filho teve hoje, conseguiu um bom emprego.” Para nós, cristãos, não existe “sorte”. O que acontece são milagres silenciosos de Deus!

Ezequias viveu os seus quinze anos de graça, mas perdeu a oportunidade de dar um grande testemunho de sua fé e do seu Deus aos visitantes de Babilônia.

Pense sobre isso e creia no Senhor Deus para estar seguro. Creia nos profetas dEle e você prosperará.

 

Fonte:
Encontro com as Profecias
WGospel – Rede Maranatha de Comunicação

Oportunidade perdida

flecha

A profecia que estudaremos hoje está registrada em II Reis 13:17 “E disse: Abre a janela para o oriente. E abriu-a; Então disse Eliseu: Atira. E atirou. E disse: A flecha do livramento do Senhor é a flecha contra os Sírios; porque ferirás os Sírios em Afeca, até os consumir”.

Esta profecia foi feita pelo profeta Eliseu, bem no final de sua vida. Segundo o texto bíblico, Eliseu estava doente e, provavelmente, com algo que não teria cura. O destinatário da profecia era Jeoás, o décimo terceiro rei de Israel. Sempre é bom lembrar que Israel é a parte norte, com capital em Samaria. Jeoás reinou dezesseis anos, de 798-782/1 AC (II Reis 13:10). Não podemos confundir esta Jeoás ou Joás, que foi rei em Israel, com o Joás, filho de Acazias, que foi rei em Judá, parte sul, por quarenta e um anos.

A parte norte de Israel vinha por muitos anos sendo castigada pelas constantes invasões dos Sírios. Muitas cidades já haviam sido tomadas do outro lado do Jordão. Os Sírios quase destruíram por completo a nação de Israel, mas no reinado de Joás, as coisas começaram a mudar.

Mas a grande verdade é que pouco restou de Israel. Note a descrição de bíblia. “Porque não deixou a Jeoacaz mais povo, senão só cinqüenta cavaleiros, e dez carros, e dez mil homens de pé; por quanto o rei da Síria os tinha destruído e os tinha feito como pó, rilhando-os” (II Reis 13:7). Este era o problema que Joás herdou quando assumiu o trono de Israel. Ele precisava se defender dos Sírios, porém não dispunha de um exército capaz de enfrentá-los.

Diante dessa situação Jeoás só poderia recorrer a Deus. E aqui ele nos deixa um belo exemplo. Foi até Eliseu, que estava doente. O encontro emocionante é descrito em II Reis 13:14-19. Ao chegar diante do velho profeta, o rei o chama de pai. De fato Eliseu, tinha sido um pai para Israel. O jovem rei, mesmo cometendo vários pecados contra Deus, reconhecia que Eliseu era um grande pai para o povo. Ao ver o profeta deitado em seu leito de morte o rei chorou e desabafou sua luta.

Amido ouvinte, assim devemos tratar nossas lutas, angústias e problemas. Correr para os braços de Deus. Talvez eu esteja falando para alguém que acha que o seu problema não tem solução. Não estou menosprezando os psicólogos, conselheiros e psiquiatras. Eles são importantes. Quero lembrá-lo, porém, de Alguém que está pronto, a qualquer momento para ouvir seu desabafo e enxugar suas lágrimas. Se você se sente acabado, destruído, corra até Deus, chore, conte todos os seus anseios, tristezas; eu tenho certeza que Deus não deixará você sair vazio, sem resposta.

Voltemos a profecia de hoje. O profeta Eliseu, mesmo em seu leito de morte, teve forças para se levantar e fazer a sua ultima profecia. A ordem era para que o rei pegasse um arco e flechas. Isto simbolizava que o rei teria que enfrentar o problema. Muitos têm problemas sérios na vida, porém querem que os outros resolvam para ele. Se o “abacaxi” é seu, é você quem tem que descascar. Não queira transferir a responsabilidade para os outros. Ponha a mão no arco! Lute!

Enquanto o rei segurava o arco, o velho profeta chegou por trás, e colocou as suas mãos em cima das mãos do rei. Aqui, está a parte mais linda desta história. O profeta queria dizer para o rei que ele não estava sozinho. O profeta simbolizava Deus. Deus estaria com o rei ao enfrentar os desafios. Ah! Meu amigo ouvinte, que grande mensagem para todos nós! Não estamos sozinhos! As mãos de Deus estão sobre as nossas mãos. Deus também estará com você, porém lembre-se: as mãos do profeta só foram colocadas no arco após o rei ter colocado as suas. Isto mostra que Deus nunca fará o que você puder fazer. Deus nunca fará o que compete ao homem, porque se assim fizesse, estaria criando acomodados, preguiçosos. Deus detesta a preguiça, o comodismo, os aproveitadores.

Quando a flecha foi lançada, Eliseu fez a sua ultima profecia. Nela foi dito que os Sírios seriam vencidos. Estava profetizando o fim do problema de Joás. A profecia diz que feriria os Sírios em Afeca até os consumir. Lembre-se deste detalhe. A profecia dizia que eles seriam consumidos. Então uma nova ordem foi dada ao rei. “…Toma as flechas. E tomou-as. Então disse ao rei de Israel: Fere a terra. E feriu a terra três vezes e cessou” (II Reis 13:18).

O verso seguinte diz que quando o profeta viu o comportamento do rei em ferir a terra três vezes e ficou profundamente indignado. Feriu três vezes e parou. Parou muito cedo. Devia ter atingido a terra cinco ou seis vezes, mas foram apenas três. O ato de ferir a terra mostrava que não seria uma tarefa fácil. O rei estava sendo posto à prova. A batalha seria dura! Deus nunca disse que a vida seria fácil para o cristão, mas o que Ele prometeu, é que estaria conosco, em todos os momentos.

Amigo ouvinte, se os problemas da sua vida não foram eliminados, a falha não está em Deus Pode estar com você. Os resultados sempre serão proporcionais ao seu esforço. Deus quer que seus filhos nos dias atuais compreendam isto, de forma bem clara. Muitos hoje reclamam de falta de sorte, de falta de oportunidades, e culpam outros por seus fracassos pessoais. Deus quer que você seja um vencedor. Dependerá de quantas vezes você desejar ferir a terra. Os vencedores feriram muitas vezes. Os medíocres farão o mínimo possível, o menos trabalhoso, o que todo mundo está fazendo; não andarão a segunda milha!

Amigo ouvinte, faça sua parte e creia no Senhor para estar seguro. Creia nos profetas dEle e você prosperará.

 

Fonte:
Encontro com as Profecias
WGospel – Rede Maranatha de Comunicação